O filme “As Sufragistas” nos ensina a importância do voto feminino!
21 de fevereiro, 2018

“Eu tenho um sonho”, disse Martin Luther King Jr., e ele não foi o único. Todos nós temos sonhos, mas nem todos estão dispostos a pagar o preço necessário para torná-lo uma realidade.

Tenho percebido em minha geração esta falha: temos muitos sonhos e poucas realizações. Talvez seja porque parece que tudo que havia para ser feito já se fez, talvez seja falta de criatividade para sonhar, ou talvez seja falta de convicção.

Fonte: www.google.com.br

Fazemos parte de uma geração que vive uma “metamorfose ambulante”, nossas opiniões mudam tão depressa quanto o sol nasce e se põe. Só me resta constatar que nos falta convicção para lutarmos por nossos sonhos e ideais.

Recentemente, eu assisti ao filme “As Sufragistas” – o longa estreou em 2015, mas somente há poucos dias tive a oportunidade de assisti-lo, lembro que na ocasião de sua estreia o filme teve uma boa repercussão ao redor do mundo mas, de alguma forma, passou batido aqui no Brasil, por isso achei importante destacá-lo novamente, especialmente em um ano de eleição.

Fonte: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-222967/

Enquanto assistia ao filme, e aos desafios que essas mulheres enfrentaram, desde prisões, greve de fome e exclusão social, diversas vezes me peguei pensando: “eu, no lugar delas, já teria desistido”. Admito que esse pensamento me fez sentir vergonha de mim mesma, e em dívida com a minha geração e com as gerações futuras. Afinal, o que eu tenho feito hoje que impactará positivamente a próxima geração?

Fonte: http://www.imdb.com/title/tt3077214/mediaviewer/rm3914132224

Essas mulheres lutaram pelos meus direitos cerca de 90 anos antes de eu nascer, elas revolucionaram a história e inspiraram mulheres no mundo inteiro, e nem sequer receberam os devidos lauréis pelos seus feitos.

No Brasil, mulheres como Celina Guimarães Viana* lutaram para que hoje nós tivéssemos o direito de votar. Muitos dos direitos que hoje nós temos custaram um preço alto aos seus pioneiros. E é nosso dever honrá-los fazendo o bom uso desses direitos. De dois em dois anos temos ido às urnas por mera obrigação, cumprimos nosso papel de cidadão de forma relaxada e negligente. Evitamos assistir ao horário eleitoral e sequer buscamos investigar o passado político e os feitos daqueles que almejam governar nossos municípios, Estados e nação.

Reconheço que o atual cenário político do nosso país está em total descrédito, mas se a nossa resposta a isso for o descaso estaremos desonrando o esforço daqueles (as) que lutaram para que a democracia e a justiça fossem uma escolha. Este ano pense diferente, se informe, leia e ouça as opiniões sobre a política e os candidatos. Valorize seu voto! Alguém pagou muito caro por ele.

Assista ao trailer do filme “As Sufragistas”:

* Celina Guimarães Viana foi uma professora brasileira, primeira eleitora do Brasil, ao votar em 5 de abril de 1928 na cidade de Mossoró, no interior do Rio Grande do Norte. Wikipédia

Fonte: https://jornalggn.com.br/noticia/a-conquista-do-voto-feminino-em-1932

Luana Mattos
postado por
Luana Mattos